quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Stephen Hawking dispensa Deus


Os avanços na Física moderna excluem Deus das teorias sobre a origem do Universo, afirma o astrofísico britânico Stephen Hawking, 68, em um novo livro. A obra "The Grand Design", escrito em parceria com o físico norte-americano Leonard Mlodinow, será lançado na próxima quinta-feira (9).

Segundo Hawking, o Big Bang foi uma conseqüência inevitável" das leis da Física. "Dado que existe uma lei como a da gravidade, o Universo pôde criar-se e se cria a partir do nada", afirmou. "A criação espontânea é a razão por que há algo em lugar do nada, de por que existe o Universo e por que existimos.", diz ele, E acrescenta: "Não é necessário invocar a Deus para acender o pavio e colocar o Universo em marcha", acrescenta.

Esta posição representa, segundo o "Times", uma evolução em relação ao que o cientista britânico havia escrito anteriormente sobre o tema.Em sua "História do Tempo" (1998), um dos grandes best-sellers da literatura científica, Hawking sugeria que não existia incompatibilidade entre a noção de Deus como criador e uma compreensão científica do Universo.

Meu comentário


Acho engraçado os cristãos que evitam esse tipo de notícia e morrem de medo de lê-las. “Melhor não arriscar, né? Vá lá que esses ‘cientistas malucos’ descobrem mesmo que Deus não existe” – devem pensar os mais cautelosos.

Em primeiro lugar, penso que esses cientistas não são malucos (maluco sou eu, por Jesus). Eles apenas não acreditam em Deus e confiam em suas teorias. Segundo, quando leio notícias assim, sinto fortalecida ainda mais a minha fé num Deus Pai/Criador, inclusive, pela capacidade que Ele mesmo deu a esses cientistas de pensarem suas teorias. Terceiro, quando leio explicações como as do renomado astrofísico britânico, do tipo “Dado que existe uma lei da gravidade, o Universo pôde criar-se a partir o nada” e que “A criação espontânea é a razão por que há algo no lugar do nada”, percebo um esforço sobre-humano de tentar “impor” a inexistência de Deus e uma desesperada necessidade de provar que somos algo além de insignificantes, dado a nossa “sapiência”. Em quatro e último lugar, não consigo olhar para Hawking sem sentir uma profunda compaixão por ele. E torço para que a sua ciência tenha lhe dado alguma alegria de viver. Ao invés de contestá-lo, prefiro orar por ele.

E entre o “algo no lugar no nada” e um Deus Criador, razão de tudo, eu fico, cada vez mais, com a segunda opção. 



20 comentários:

disse...

Eu também fico com a segunda opção. Bom texto!

Dias disse...

Você fica com a opção que lhe massageia o ego, um pai bondoso e protetor, é compreensível.

Clovis Cabalau disse...

Querido Dias, minha escolha nada a ver com ego, ao contrário. Eu creio num Deus Pai, bondoso e protetor, sim, mas também num Deus justo e fiel à sua Palavra. Segui-lo tem a ver com negar-se a si mesmo e não acreditar que Ele é um "baú da felicidade". Basta ler a história de homens como Paulo, Pedro, Estêvão e tantos outros que padeceram dores não só pela fé, mas pela razão. A fé, para mim, é não tem nada a ver com sentimento, mas com uma decisão baseada numa busca intelectual por respostas. A primeira opção (vista no meu comentário), esta sim, tem a ver com ego.
Fica na paz.

Andre disse...

Cada, piada, Cabala. Engraçado - como os cientistas gostam tanto da "geração espontânea" para explicar a criação. Simplesmente é complicado para a ciência aceitar a Deus - exatamente pelo motivo que explica ao responder ao comentário, do ponderado Dias. A ciência nega Deus com um intuito de autoafirma-se. Os cientistas sente-se enfraquecido com algo que não podem explicar - engraçado é que eles chegaram a conclusão de que há um "START" na história da criação do Universo - mas negam por tudo que nada, nem ngm, nenhuma existência sublime apertou esse botão. Isso pra mim é tão irracional... Bom, abração. Fico com a segunda opção também. Abração!

Brena disse...

Eu também fico com a segunda opção! Abraço!

Clovis Cabalau disse...

André, que bom te ver pensando a assim.
Brena, a tua escolha faz toda a diferença na tua vida, não é verdade? Na minha faz.

Eduardo Medeiros disse...

Deus, qualquer deus que seja de qualquer religião, não é um objeto verificável pelo método científico, logo, a física não precisa mesmo de Deus.

Então, ciência nenhuma dirá 'cabalaumente" rsss que Deus não existe; pode até dizer que Deus não é necessário como o provocador da existência, o que é verdade, já que a ciência sempre buscará as razões que possam ser verificáveis.

Eu não acredito nos deuses das religiões, nem mesmo do deus judaico-cristão, pois todos os deuses são construções de uma necessidade humana pela transcendência.

Mas creio sim que uma singularidade consciente(posso até chamá-la de Deus)seja necessário para explicar o tal start. De repente, Deus é a Força da Gravidade...rssss mas ela teria que ser consciente para que no processo evolutivo de criação, a nossa consciência viesse a existir. Não posso conceber que inteligência e consciência venham a ser produzidas pelo acaso burro e inconsciente.

abraços

Alberto Couto Filho disse...

Pastor Clovis,
A paz
Acaso burro e inconsciente – O Eduardo disse tudo.
Primeiro, os bóson, os férmions, a buscar explicações sobre a existência de Deus – o deus que a física teima em descobrir;
Depois, um conhecido e polêmico pastor a perguntar onde estava Deus, na ocasião de catástrofes onde vidas foram ceifadas;
Ainda há pouco, o Chico Anysio, conturbado, mandou às favas os “ONIs” de Deus;
Agora, este senhor Stephen Hawking, desesperadamente, procura dispensar o Criador, visando não sabemos bem, o que.
O que vejo: Os físicos, para dizer ao mundo para que vieram, queimam pestanas para contrariar o óbvio. A fama sendo buscada a qualquer preço; Um pastor, ávido por aparecer, quem sabe, para que seus livros saiam das prateleiras das Livrarias; Um gênio este sim, do humor, externando mágoa e rancor, lutando para ser percebido no natural ocaso da carreira, chamando a atenção para si; e agora um outro tipo de gênio, querendo dispensar Deus, colocando o Criador para escanteio em razão, quem sabe também, da sua deficiência física, o que seria paradoxal. Se suas disfunções não levam o selo de aprovação de Deus, em quem recairiam as suas suspeitas? Nos bósons, nos fértions, nos “sei lá o que”?
Que perda de tempo lastimável! Enquanto isso, o câncer e outros males incuráveis, continuam a ceifar vidas.
Deus é Deus e basta! Não é mesmo?

Clovis Cabalau disse...

Deus é Deus, queiramos ou não. É isso aí, querido Alberto. Eduardo, gostei do "cabalaumente" rsrsrs.

Anônimo disse...

A palavra do Senhor nos alerta para que nao sejamos dado a ciência. Não que a ciência não seja importante. No entanto, não devemos acreditar em tudo que a ciência diz. Acontece que o homem se sente tão pequeno diante do universo(que é sem duvida uma obra divina)que tenta encontrar teorias absurdas para explicar perguntas q não há resposta cientifica. Sendo assim, o homem as vezes pensam que são o Proprio DEUS, recriam o BIG BANG, etc.....
O que eu vejo é que a cada dia que passa a ciência vai se redento cada vez mais a DEUS.

Wallison Ferreira

Anônimo disse...

CONTINUANDO.....

COmo disse, A ciência está a cada dia se redendo a DEUS. Isso pode ser observado nas teorias que questionam a existência de DEUS. tais teoria, alem de absurdas, não explicam a própria teoria, sem contar que tais teorias não trazem argumentos novos. Veja so o astrofísico britânico Stephen Hawking, cujo sua teoria tem como base a lei como a da gravidade.
Fiquei tremendamente Maravilhado ao ler um livro de um grande cientista, o Augusto Cury. No prefácio do livro ele afirma que foi Ateu. Até que um dia resolveu estudar Jesus Cristo, não pela ótica da fé( segundo ele quando a fé fala a ciência se cala. Ele ficou encandado por Jesus e a coisa mais extraordináriaque ele falou foi que " nos não temos a criatividade, a capacidade de criar um ser como Jesus Cristo. Portanto, Jesus andou, chorou, etc..." Isso é mais uma prova de que a ciência( conhecimento tolo) está se rendendo a DEUS, não por força, mas pela glória do SSENHOR!

Um forte Abraço!

Wallison Ferreira

Clovis Cabalau disse...

Wallison, obrigado pela visita e pelos comentários pertinentes. Realmente, a criatividade do homem não chega aos pés da de Cristo. Por isso, digo sempre: Jesus é pura arte.
Deus o abençoe.

NICODEMOS disse...

PAZ SEJA CONTIGO

SEMPRE QUE QUESTIONAM A RAZÃO DA MINHA FÉ SOU FORTACELECIDO AO REAFIRMAR MINHAS CONVICÇÕES E CONTRAPONDO TEORIAS, REVELAÇÕES OU NEGAÇÕES SOBRE A EXISTENCIA DE DEUS ME FAZEM CRESCER.

FÉ QUE PENSÃO, RAZÃO QUE CRÊ

TRISTEMENTE CRISTÃOS (UMA PARTE) TEM MEDO DE PENSAR.PENSAR

Michelli disse...

Simplesmente é complicado para a ciência aceitar a Deus [2]
a segunda opção, sempre!!!
:)

Selma Lobo disse...

Eita Clovis, "vai que Deus não existe mesmo", heim...rsrs. Quanta dificuldade para provar a inexistência de Deus! É como respirar o ar e negar a sua existência.

Agora Edu, a força da gravidade quem sabe ser Deus? kkkk é muito até para vc!kkkk, concordo com vc, "inteligência e consciência, não podem vir do acaso burro e inconsciente" . Meu amigo Edu, estou desconfiada que você é mais "crente" que muito "crente" que eu vejo por ai... rsrsr, bj


Clóvis seu blog é otimo, bjks

disse...

rs rs É isso aí Selma.

Eduardo Medeiros disse...

Pois é Selminha, eu sempre digo isso: "gente, eu sou crente..." mas ninguém acredita. É que para muitos ser crente só é possível do jeito deles serem crentes. Aí, sorry...

Brena disse...

A segunda opção faz total diferença em minha vida! Agradeço a Deus por isso!

Blog do Anderson Cruz disse...

Essa história de provar a existência de Deus é Antiga.

No século I, Paulo escreveu aos pagãos que não conheciam o Deus do Judaísmo e do Cristianismo:

“Porque do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda a impiedade e injustiça dos homens, que detêm a verdade em injustiça.
Porquanto o que de Deus se pode conhecer neles se manifesta, porque Deus lho manifestou.
Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis;
Porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu”
(Romanos 1:18-21)

Nesse versículo Paulo declara que a existência de Deus não é somente evidente, mas também que os que não a percebem são tolos. Esse versículo lança luz a um debate antigo e, ao mesmo tempo, atual: ´DEUS EXISTE?



Hoje, muitos homens se têm levantado tentando convencer que Deus não existe e que o próprio universo e as leis da Física conseguem, por si mesmos, explicar todos os aspectos da vida na Terra.

Mas será mesmo assim?

Para Paulo, aqueles que não percebem a existência de Deus, além de estúpidos, estão fadados a se tornar cada vez mais ignorantes, com mentes cauterizadas. Segundo o Salmo 14:1, aqueles que negam a existência de Deus são tolos.

Contudo, será possível provar a existência de Deus?

Hoje existem duas razões básicas para se negar ou desconsiderar a necessidade de “provar a existência ou inexistência de Deus. A primeira razão é de ordem filosófica, pois a Filosofia dos séculos XIX e XX bateram o martelo afirmando que ninguém é capaz de provar algo além do “metafísico”, ou seja, além daquele que podemos perceber.

Alguns pensadores defendiam essa tese já no século XVIII, como Immanuel Kant e Ludwig Wittgenstein, no século passado. Aquele argumenta que a razão só pode provar aquilo que pertence ao mundo da percepção dos sentidos. Para ele, passar desse limite leva ao erro. Já Wittgenstein, defendia que a própria linguagem não é capaz de tratar do que se encontra além de nossa percepção. Para ele Deus e religião são assuntos que transcendem a linguagem.

A segunda objeção à necessidade de provar a existência de Deus é teológica e se baseia na convicção de muitos cristãos de que na ambição de provar a existência de Deus reside um erro moral.

Karl Barth, teólogo cristão do século XX, dizia que a única maneira de conhecer Deus é por meio da revelação. Para ele, todo conhecimento a respeito de Deus deve ter origem no próprio Deus, e não na razão humana.

Contudo muitos autores seguiram na busca de argumentos que comprovassem a existência de ELOIM. Uns por meio do argumento dedutivo (é o pensamento matemático: ninguém coloca em dúvida uma prova matemática. Pelo pensamento dedutivo, DEUS TEM EXISTIR, ou seja, todas as coisas provam que ELE existe). Outros, pelo pensamento indutivo diziam que assim como não é possível provar que todas as moléculas de água têm dois átomos de hidrogênio e um átomo de oxigênio, mas existem evidências fortíssimas que o comprovam, não é possível provar que Deus existe, mas existem FORTES EVIDÊNCIA DE SUA EXISTÊNCIA.


Eu, particularmente, acredito que não há necessidade de se provar ou não a existência de Deus. Ele já se prova por si só. Deus se faz real em cada um de nós que já tivemos experiência pessoal com Ele e andamos em sua companhia na fé em SUA PALAVRA: A BÍLIA SAGRADA. Fico com o que Jó disse: “Antes te conhecia de ouvir falar. Agora o conheço de contigo andar”.

Clovis Cabalau disse...

Falou e disse, Anderson. Também fico com as palavras registradas em Jó 42:5. Ótimo comentário.
A Paz.

Postar um comentário