quarta-feira, 28 de julho de 2010

Fui à missa no domingo


Domingo passado foi um dia movimentado. Pela manhã, Deus me concedeu a honra de pregar na minha igreja, no chamado Culto das Primícias. Em seguida, uma rápida passada na casa de minha sogra, que está enferma. Depois, um almoço a dois com minha amada esposa. O tempo voou e, mal chegamos em casa e já estávamos apressados para não perder a missa das 17h, na Igreja de São Francisco de Assis, localizada a cerca de 40 minutos de nossa casa... Missa???!!!!

Antes que os irmãos pensem que eu “desviei” ou “surtei” de vez, explico. Semana passada recebi um telefonema da minha doce vozinha [essa aí da foto, com meu avô e cercada de netos], para me fazer um convite. Toda cuidadosa, como quem pisa em ovos, ela disse:
- Meu neto, sei que você é evangélico e não vai à missa, mas é que eu e seu avô estamos completando 70 anos de casados e vamos reunir a família numa cerimônia no domingo. Iria ficar tão feliz se você fosse...
Antes de ela completar o convite, respondi: - Estarei lá sem falta, vó. A que horas começa a missa mesmo?

Penso que só sendo muito religioso para recusar um convite desses. E se há uma coisa que eu luto para não ser é religioso. Aliás, no dia em que religião for mais importante que a minha família, ai sim, precisaria me reconciliar com o Senhor, porque “desviei” dos Seus propósitos.

Não vou entrar em detalhes sobre a cerimônia, caso o leitor esteja curioso para saber sobre como e eu minha esposa nos comportamos. Até porque o suposto sacrifício foi plenamente compensado com o abraço amoroso da minha “frágil” vozinha, satisfeita com a nossa presença. Entre um senta-levanta e outro, eu pensava com meus botões: “70 anos de casados não é para qualquer um”. Lembrei de uma pá de amigos evangélicos, cujo casamento não sobreviveu ao primeiro ano e de outros que andam aos trancos e barrancos.

Falar de casamento é um assunto espinhoso, mas, lá vai. Para início de conversa, não tem nada a ver com religião. Fico irritado com aqueles “crentes” que “amassam a marmita” antes da hora e depois recorrem ao altar como quem busca “consertar” a besteira diante do Senhor [um erro não corrige outro erro, cara pálida]. Casam sem amor, sem conhecer um ao outro, transformam a união num tormento e depois ficam com aquela conversa de que “o que Deus uniu, não separe o homem”. A questão é: será que foi Deus mesmo quem uniu?

Voltando ao episódio da missa. Depois da cerimônia, não pude deixar de rir de uma devota de Nossa Senhora [julgo pela camiseta que ela usava, com a imagem de Maria] que pensava alto: “Nossa, para aturar uma pessoa por 70 anos tem que ter muita coragem”. Fui obrigado a concordar com ela. Só acrescentaria algumas qualidades à atitude dos meus avós. Além de coragem, é preciso amor, cumplicidade, respeito, convicção e temor a Deus. Amém, irmãos? 

19 comentários:

Dini Kelly disse...

Já que você não quis falar da missa, eis-me aqui.

Foi uma comédia, nós dois sentadinhos totalmente sem graça enquanto o padre dizia que "nossa senhora" que ensinou a oração do Pai Nosso a Jesus.

Fora isso, é sempre bom ir a outra igreja de vez em quando. Faz a gente valorizar e amar ainda mais a nossa.

Elton Morais disse...

Você tem é coragem de ir numa missa.. hehehe

Gostei da frase da Dini Kelly: "é sempre bom ir a outra igreja de vez em quando. Faz a gente valorizar e amar ainda mais a nossa."

Em Cristo,
Elton Morais

Eduardo Medeiros disse...

Que bela família!! parabéns aos seus avós.

MIssa? qual o problema da missa? Já fui a muitas...se eu vou até em culto evangélico. heeee

abraços Clovis

disse...

srrs muito legal Clóvis, é isso aí. Eu uma vez fui convidada, mas não fui porque era missa de sétimo dia de um amigo que faleceu , aí não dava mesmo pra compactuar, não é vedade? mas casamento eu vou , sempre que me convidam estou lá. Paz!

Clovis Cabalau disse...

Valeu Eduardo, Elton e Rô. É, missa de sétimo dia é complicado mesmo, Rô. Deus abençoe.

Anônimo disse...

Já fui em já me neguei a ir. Quais critérios uso: se for em solidariedade, uma comemoração por bodas, vou; se for uma forma de cultuar, de forma ecumenica participar, estou fora. Acredito que o relato se enquadra no primeiro critério. O coração da sua vó deve ter se enchido de alegria e ainda mais, é sim um forma de testemunhar de Cristo em nosssas vidas. Amém.

PS. Anônimo com assinatura. Robson (CV Parque Vitória).Desculpem-me minha ignorância tecnológica, mas só nesse perfil consegui postar. Uma pergunta: nos outros eu tenho que ter um blog?

Clovis Cabalau disse...

Valeu, Robson. Sobre a tua pergunta, sou tão ignorante quanto você. Mas, tenho a minha esposa Dini para me socorrer nessas horas. Vou perguntar a ela a resposta e digo para postá-la aqui em breve. Beleza? Fica na Paz do Senhor.

Dini Kelly disse...

Robson, logo acima da opção "Anônimo" tem a opção "Nome/URL" você pode selecionar esta opção e colocar só o seu nome como eu estou fazendo agora. neste comentário. A diferença que não vai ter a sua foto aqui do lado.

Outra opção é se você tiver alguma conta de e-mail no gmail você pode selecionar a opção "Conta do Google".

Robson Sousa disse...

Valeu! Agora sim...

Marcia disse...

Clovis,amei a sua colocação :"no dia em que religião for mais importante que a minha família, ai sim, precisaria me reconciliar com o Senhor, porque “desviei” dos Seus propósitos." Também penso assim e fico triste ao ver muitos "crentes" mais preocupados com religião do que com os propósitos do Senhor.

Fica na paz!

Alberto Couto Filho disse...

Abençoamado Clovis,

A paz
Passei por aqui e...resolvi ficar. Já estou na cola do seu excelente blog.
Sua presença naquela festa diz muito do amor perfeito de Cristo - sem limites,barreiras,acepção ou condições - Amor contido; detido; retido e mantido num coração, seguramente, inspirado por Jesus.

Ai do amigo se não me convidar para o 71º aniversário do casamento deles. Me amarrei no que havia sobre a mesa - "show de bola"

Dá uma chegadinha ali em http://albertocoutofilho.blogspot.com/. Você vai gostar.

Que Deus te abençoe abundantemente.
ACF

Sandro Moraes disse...

Clóvis, que texto gostoso de ler! Me diverti muito. Como é bom lermos sobre as coisas simples e agradáveis com pessoas amadas. De fato vc não é nada religioso mesmo. Que bom. Estamos livres da religiosidade para vivermos a liberdade! Em Cristo, Paz!

Anônimo disse...

GOSTEI DO SEU TEXTO LI TODINHO E CONCORDO COM 90% DE TUDO, MENOS QUANDO VC FALA QUE O PADRE FALOU QUE MARIA(NOSSA SENHORA) NOS ENSINOU A ORAÇÃO DO PAI NOSSO. A IGREJA CATÓLICA NUNCA COLOCOU MARIA ACIMA DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, E QUE PADRE NENUM É DESINSTRUIDO PARA FALAR TAMANHA SANIDADE.TAMBEM ACREDITO QUE É SEMPRE BOM FREQUENTARMOS OUTRAS IGREJAS, QUANDO CONVIDADOS, POIS ISSO NOS LEVA A AMAR CADA VEZ MAIS A NOSSA...
POSTEI COMO ANONIMO POIS FOI A ÚNICA FORMA QUE CONSEGUI.

Clovis Cabalau disse...

Querido "anônimo", não fui eu quem disse isso que você não concordou. Isso não está no texto. Quem comentou o fato foi a minha amada esposa, Dini Kelly. Mas, que o padre falou, falou. Talvez, de brincadeira, mas falou.
Uma sugestão para se identificar no comentário (não sei o que ocorreu) é digitar seu nome do final.
Deus abençoe.

Anônimo disse...

Não entendi o que foi fazer à missa. Já fui a cultos, discordei de tudo, mas não tive a deselegância de comentar ou criticar o que vi.

Brena Oliveira disse...

Querido Anônimo,
O Pastor Clóvis não criticou o que viu! Apenas defendeu a sua convicção. DEUS o abençoe e te faça resplandecer a imagem de CRISTO!

Anônimo disse...

Estou neste dilema!
Meus sogros compeltam 50 anos de casados!
Gosto muito deles e meu marido hj é convertido também e frequenta a igreja evangelica comigo.
Eu decidi ir a missa que não é exclusiva para comemorar aos 50 anos deles. Somente no final
haverá uma benção para eles.
Acontece que agora que confirmamos presença, ouvi na rua que a missa de sabado será em homenagem a são sebastiao rsrsrsrrs
Fiquei mal, como posso eu ir a um lugar onde se cultuará uma imagem??
Por outro lado, se eu nao for eles ficarão chateados com a gente.
Sinceramente não sei o que fazer.
Preciso de orientação
Se vcs puderem me ajudar, agradeço!
Graça e paz!!!

Clovis Cabalau disse...

Ao anônimo que me perguntou o que eu fui fazer na missa, sugiro que leia o post outra vez, a resposta está lá. Quando leres outra vez, verás que eu não critiquei em nada a missa ou a postura católica. Não foi essa a razão do texto. Se fosse essa a razão, só para você saber, teria um sem número de heresias bíblicas para citar. Isso não quer dizer que em cultos evangélicos também não hajam heresias. E um dos propósitos desse blog é criticar essas também.
Deus o abençoe.

Clovis Cabalau disse...

Querido(a) anônimo(a) que está no dilema do ir ou não ir. Ressalto o que disse no post: não deixe que a religiosidade seja mais importante que sua família. Recomendo que vá à missa, mas não siga os rituais de adoração à qualquer imagem que seja.

Postar um comentário