quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Cuidado, hoje é sexta-feira 13


Tem coisa mais ridícula do que crente desviando de escada para não passar por debaixo dela? Ou batendo três vezes na madeira para espantar mau agouro? O que dizer daqueles que não abrem mão de usar branco no dia de Réveillon, para garantir sorte no ano que chega? E aqueles que só saem de casa com o pé direito? Pois é, nesta sexta-feira 13, nada como dar umas alfinetadas santas nos supersticiosos incorrigíveis, que ainda carecem de “um banho de sal grosso” para largar mão de besteira.

Tempos atrás, preguei sobre superstição para jovens e vi uns e outros se coçando na cadeira. Meu projeto inicial era posicionar escadas nas portas principais, de maneira que, para entrar na igreja, todos tivessem de passar por debaixo delas. Mas, declinei da idéia por temer um possível esvaziamento no culto. No final, o que deveria ser uma ministração corriqueira, tornou-se esclarecedora e reveladora, pois muitos reconheceram alimentar superstições em seu dia-a-dia.

Sem querer ridicularizar as esquisitices supersticiosas de ninguém, mas cristão que perde tempo atribuindo algum poder a objetos, gestos, roupas, datas, signos, gatos pretos, ou coisas dos tipo, ainda não entendeu o que é ser liberto em Cristo Jesus. Em um país como o nosso, no qual se aprende a fazer mandingas e simpatias em programas de TV, como o da Ana Maria Braga, é triste se constatar que esse tipo de imbecilidade contagie até as pessoas que se dizem cristãs. Talvez seja por isso que hoje amargamos o desprazer de ver heresias do tipo “rosa ungida”, “água benta gospel”, “toalha ungida com suor milagroso”, “óleo da unção colorido” e outras invencionices que se vê em certas igrejas por aí.

Por isso, nesta sexta-feira 13, o conselho dos supersticiosos  é o seguinte: ao sair de casa, pise com o pé direito, não passe por debaixo de escadas, evite gatos pretos pelo caminho, não abra mão do pé de coelho, nem do trevo de quatro folhas. O meu conselho é: seja livre em nome de Jesus. 

5 comentários:

Selma Lobo disse...

Poxa Clovis, já estava aqui preparando umas coisinhas para a sexta-feira 13, para me trazer sorte e você joga esse balde de água fria em mim, kkkk. Brincadeira amigo, eu fico pasma como tem gente superticiosa, e dentro da igreja também, eu e meus amigos sempre malhamos disto, fazemos piada com a supertição de alguns que acabam reconhecendo o exagero.
Acho que isso passa também pela necessidade que alguns tem de terem um ponto de contato, uma peça qualquer que alimente um pouco mais a fé. Talvez pela dificuldade de acredtar "apenas" que a fé é algo sobrenatural.
valeu amigo,
abração.

disse...

rsrs Achei muito legal, o texto!
.

Carla Fiquene disse...

hahaha Ótimo texto Clóvis :D

Alberto Couto Filho disse...

abençoamado Clovis

A Paz
Excelente!

Fico enciumado com esta sua forma concisa e bem humorada de falar de coisas tão "sérias" e "transcendentais".

O que faço com minha pasta, com meu cinto e com meu par de sapatos de couro de cobra piton, que tanto tem me ajudado no combate àquele tal de exu boiadeiro?

Alguns cegos espirituais dirão: Não tem graça nenhuma! Nada a ver - o negócio da pastora Ana Paula foi uma divina "revelação".

Eu, como acredito que pererecas só largam da gente depois de roncar trovoada, e que posso ficar corcunda se eu retomar o que dei a alguém,
acredito que tudo não passa de uma atoleimada superstição.

Que Deus abençoe o irmão
Seu conservo e seguidor, em Cristo
Alberto Couto Filho

Ps: Vc viu o que andei fazendo la no Blog do Alberto? Não?
Se vc não comentar, a unha do dedo "mindinho" do teu pé esquerdo vai cair. rsrsrsrsrs

Brena disse...

Que texto esclarecedor! Muito bom mesmo!

Postar um comentário