quinta-feira, 24 de junho de 2010

Faustão "gospel"


Ô lôco, meu! Chegou a vez da música gospel no Domigão do Faustão. Vai ser neste domingo (27). Depois de massificar o padre galã Fábio de Melo, a Rede Globo decidiu convidar as belas Fernanda Brum e Aline Barros para cantar no show de auditório de Fausto Silva.

Considero o Domingão do Faustão um dos piores programas da televisão Brasileira. Não tem conteúdo algum, as piadas do apresentador já estão mais do que batidas e o roteiro [ou falta dele] é de doer. Mas, como o povo brasileiro tem o hábito de consumir porcaria, o programa persiste no ar por anos a fio, com audiência de milhões de pessoas.

É evidente que o convite feito às pastoras Fernanda Brum e Aline Barros não é um sinal de que o apresentador se converteu [não pense que eu duvide que isso seja possível, sou prova cabal da misericórdia de Deus], mas trata-se de mais uma jogada comercial, visando cativar a audiência da grande massa evangélica brasileira.

Ok, antes que alguém comece a torcer o nariz com minha postura precavida e crítica em relação à participação das cantoras no Domingão, quero deixar bem claro o seguinte: creio que Deus abre portas que ninguém fecha, que é poderoso para usar quem Ele quer [e isso não exclui o Faustão] e que a sua palavra não volta vazia. Por isso, oro para que as pastoras sejam poderosamente usadas pelo Senhor e que o Evangelho de Cristo seja pregado verdadeiramente, e não alvo de piadas [como já fez Jô Soares ao entrevistar Baby do Brasil]. É esperar para ver.

14 comentários:

Eduardo Medeiros disse...

Oi Clóvis-crente-pensante, beleza? Vi o teu blog lá na Rô (Mulheres sábias) e vim conhecer o teu espaço pensante. Se você me permite, vou repetir aqui o comentário que fiz lá na Rô sobre esse mesmo assunto:

"Rô, eu vejo com outros olhos. Isso tem cheiro das mãos invisíveis do Mercado. O que vende, não importa de onde venha, merece lugar de destaque no Mercado. O Mercado vive do ter, do comprar, não interessa se o produto seja pasta de dente, carros do ano ou cantoras gospel. Essas duas vendem CD como água, fazem shows com milhares de pagantes. Ou seja, as duas dão ibope, já que ver Faustão já não é mais pecado como era nos meus tempos de assembleiano.

Obrigado pelo convite mas terei que declinar. Para mim as duas são apenas dois rostos bonitinhos que acreditam que estão cantando para Deus mas que na verdade, cantam para o Mercado.

Sem ofensas. Por favor, fãs das duas, não tentem me assassinar rssssssss

Eu sou do tempo em que crente que gravava disco não tinham fã e que assistir Fautão ou congeneres era pecado mortal.

No mínimo, estão indo lá no Faustão duas cantoras que são artistas (pois vendem CD como ninguém) que cantam temas religiosos, Deus não tem nada a ver com essa "abertura de portas".

Desculpem minha crítica, mas é minha crítica."

Bom, Clovis, é isso aí, volto mais vezes.

Davi Araújo disse...

Nossa, realmente é complicado. Como não posso sondar o coração das pessoas o mínimo que eu posso é esperar que Deus realmente use as cantoras.
Todos sabemos que a população evangélica vem crescendo e pode se tornar metade da população brasileira. É claro que Deus usa várias maneiras de propagar seu amor! E pode usar até o plin!plin! e o poooooooodre do Faustão!
Agora uma piadinha: Já pensou Faustão pastor? "Ô loco meu, é brincadeira! deus vai mudar sua vida tanto no pessoal quanto no profissional!"

Eduardo Medeiros disse...

Davi: kkkkkkkkkk pastor Faustão???

Davi, veja que eu não estou "sondando" o coração de ninguém, estou apenas constatando o que de fato acontece: cantor gospel é artista que vende CD e faz show. Ponto. O coração de cada um é o coração de cada um...

Clovis Cabalau disse...

Como já havia dito no post, a jogada é comercial, mas Deus opera por caminhos que desconhecemos. Não embarco em qualquer jogada de marketing e concordo com o Eduardo quando diz que a Aline e a Fernanda são cantoras profissionais e vivem da profissão, e, certamente, vão se beneficiar com a aparição na Globo. Se o programa for ao vivo, vou vibrar se elas me surpreenderem com uma palavra contra a idolatria gospel ou outra mensagem que venha realmente a honrar o nome do Senhor.

disse...

Eu acho legal, mesmo sendo comercial ou não, o importante é FALAR de Deus. Fico vendo, antigamente os crentes reclamavam que a Globo não abria portas pros evangélicos quando eles abrem o povo crente são os primeiros a meter o pau , caraca... o povinho, o crente nunca esta satisfeito com nada, eles mesmo derrubam o próprio irmão, se fosse um macumbeiro, ou o (Fabio de Melo) que eu admiro e muito, os católicos não criticam e os macumbeiros adoram, e dão força, mas os crentes são os primeiros a criticarem, como se elas não pudessem, como se crente fosse anjos que não podem fazer nada, nem ganhar dinheiro, elas são cantoras, como qualquer outra pessoa, sendo crente, católica ou espirita, elas são cantoras!! e estão levando a palavra de Deus. Paz!

disse...

Com falsidade ou não, com interesse comercial ou não, o importante é levar a palavra!

Eder Barbosa de Melo disse...

Olá, conheci seu Blog também através do blog da Rô. Vi o programa hoje, que por sinal foi um tempo resumidissimo com aquele mala do Faustão interrompendo. É claro que existe uma jogada comercial aí, podem observar que os artistas gospel que gravaram pela Som Livre, bem como as coletâneas gospel são totalmente comerciais. E porque a Globo chamaria artistas da concorrente, a MK, quando poderia "convidar" outros que já tem músicas gravadas na Casa. Eu não tô criticando a apresentação nem a postura das artistas (e eu não tenho nenhum problema com o termo artista), afinal, o proprio Paulo diz que o importante é que a Palavra seja pregada, independente da motivação (se é que me entendem) é Deus quem dá o crescimento, mas acho que a gente precisa ver o que está por tras do discurso, ainda que Deus seja soberano para reescrevê-lo.

Edu, meu amigo, mentalidadezinha bem assembleiana hein... vindo de voce, ate me espantei. Honestamente, eu não tenho nada contra o gospel comercial, acho até bacana o crescimento do genero, embora não aprecie muita coisa que é modismo na música hoje em dia. Se o artista tem talento e vende seu show e produto, tudo bem, eu só me incomodo quando costumam confundir ministerio com carreira. São coisas diferentes, quem quer ser artista e fazer show, vendendo, se for algo bom eu ate compro, mas dizer que é louvor e cobrar cachê em igreja e evento de crente eu acho o cumulo da hipocrisia. Reitero, carreira, sucesso, uma coisa, ministério, outra.

Em tempo, passeando pela net, vi por aí que não foi a primeira vez que fernanda brum esteve no programa do faustão:

http://www.youtube.com/watch?v=lVA2KMP5iiY

No min. 2:42 kkkkkkkkkk

Eder Barbosa de Melo disse...

Ei gente sem querer ofender ninguém. Leia-se mentalidade assembleiana, como mentalidade antiga tá! (risos).

Clovis Cabalau disse...

Gente, se tem uma coisa que eu não sou é legalista. Vi somente hoje, na net, a participação das duas no Faustão. Prefiro separar bem as coisas. Eu vi ali as artistas e não as pastoras. Problema nenhum. Quando o Fabio de Melo foi lá, era o artista e não o padre. Se fosse encarar de outra forma, talvez a minha crítica fosse mais ácida. Mas, não vejo problema em duas artistas gospel "venderem o peixe" delas em um programa secular. Por que não? Não é por isso que elas vão ficar menos crentes.

Anônimo disse...

Gente vamo deixar de insinuações e falsidade, eu achei corretissimo a participação das pastoras não vi em momento algum elas se engrandecendo ou insinuando "comprem o meu cd" vejam as letras das musicas, da aline fala da ajuda de Deus nos mosmentos difíceis, a musica cura-me da fernanda brum, se uma pessoa que está passando por situações dificeis prestar atenção naquilo realmente recebe a cura e segura nas mãos de Deus, e as duas no final com a musica tudo é teu rendem a deus o louvor e a gratidão pelo tabu quebrado no plin-plin, temos que entender que estamos no final dos tempos a palavra de deus tem que ser pregada pra depois ninguém dizer que eu não sabia, em vez de criticar a forma que elas usaram para falar de deus faça a sua parte fale de Deus, e outra elas tem que vender cd sim, pois como comerão vestirão sustentarão suas familias, o marketing acontece de forma natural e não provocativa, tomara que todos que tenhão visto o programa comprem o cd e recebam a mensagem neles contidas, é uma mentalidade antiga (sou assembleiano)e com um tom de ignorancia e inveja as opiniões que insinuam que as duas foram lá vender cd ,quem dera todos nos tivéssemos a oportunidade de ir no faustão todo domingo falar de Deus e fazer com que Deus entre na casa de todos atraves da incontestável superior audiencia da globo.(diga-se de passagem melhor que a record que se diz crente mais só rola programação igual as do que dizem ser do capeta)

Clovis Cabalau disse...

Só esclarecendo. A expressão "vender o peixe" tem sentido amplo, não se trata exclusivamente de vender um produto, mas também passar uma mensagem. Ok? Mas, entendamos o seguinte: só o fato de o Faustão estar mostrando a capa dos CDs das pastoras no vídeo é uma forma evidente de divulgação com fins comerciais. Também não vamos ser ingênuos, turma. Deus abençoe.

Rapunza disse...

O faustão (sim, com letra minúscula) já mostrava muita porcaria no programa dele, mas ao botar crentes cantantes lá, se superou...

Será as camisas que ele anda usando?

Anônimo disse...

Pior do que mostrar estes CDs, é a Globo bombardear todos os dias nossos ouvidos com "aquelas" terríveis músicas sertanejas, que nem as pessoas que gostam ,aguentam mais escutar!!! O que querem? vender? mas se estão estocadas é porque realmente são uma porcaria! Nos poupem!!! Som Livre...nos livrem!!

Ritowski disse...

Concordo plenamente com o "anônimo". È toda hora aquele comercial das sertanejas, ninguém merece...ainda bem que tem o controle remoto, a gente troca de canal e de repente já fica por lá!!! Acorda direção da Globo!!!

Postar um comentário